Veja como descobrir a senha do Wi-Fi que você está conectado

Entender e ter fácil acesso à senha do Wi-Fi ao qual você está conectado é essencial para otimizar a experiência de conexão à internet. Seja em casa, no trabalho ou em locais públicos, a necessidade de compartilhar ou recuperar a senha do Wi-Fi é uma realidade comum.

Este guia explorará maneiras seguras e éticas de obter essa informação, destacando a importância da transparência e consentimento para garantir uma conexão estável e confiável em diversos ambientes.

Descobrir a senha do Wi-Fi

Celular em cima de uma mesa com símbolo Wi-Fi sobre ele
Imagem: Ground Picture / shutterstock.com

Saiba como descobrir a senha do Wi-fi nesses dispositivos:

Android:

  1. Dispositivos Android geralmente exibem a senha na tela de compartilhamento de acesso Wi-Fi. Caso contrário, o Google Lens pode ler o QR Code para revelar a senha;
  2. Para acessar a senha, vá para “Configurações”, “Wi-Fi”, toque na rede, selecione “Compartilhar”, e a senha deve aparecer perto do QR Code;
  3. Se a senha não estiver visível, faça uma captura de tela do QR Code e use o Google Lens para decifrá-la.

iOS (iPhone):

  1. No iOS, a senha do Wi-Fi pode ser encontrada no aplicativo Ajustes. Acesse “Wi-Fi”, toque no ícone “i” da rede à qual você está conectado e copie a senha;
  2. Garanta que a autenticação biométrica seja feita para visualizar a senha;
  3. Essa abordagem é simples e permite que você acesse a senha sem a necessidade de aplicativos de terceiros.

Windows:

  1. No Windows, encontre a senha da rede Wi-Fi no “Painel de Controle”. Pesquise por “Exibir status e tarefas de rede” e selecione a rede Wi-Fi;
  2. Clique em “Propriedades da Conexão Sem Fio” e na aba “Segurança”, marque a caixa “Mostrar caracteres”;
  3. Esse método é adequado para computadores com Windows e é uma maneira eficaz de acessar a senha do Wi-Fi.

Atenção!

Sempre fique atento a redes Wi-Fi abertas, pois elas podem ser um risco de segurança. Isso abre a porta para potenciais ameaças, como:

  1. Roubo de dados: Em redes abertas, hackers podem interceptar o tráfego de dados, expondo informações pessoais e senhas;
  2. Malware e vírus: É possível que a rede aberta seja comprometida, permitindo a distribuição de malware e vírus para dispositivos conectados;
  3. Phishing: Cibercriminosos podem criar redes falsas com nomes semelhantes a redes legítimas para atrair vítimas e roubar informações sensíveis;
  4. Ataques Man-in-the-Middle (MitM): Hackers podem se inserir na comunicação entre você e a rede, possibilitando a interceptação de dados.

Imagem: antstang/ shutterstock.com

Relacionadas