Tem como ter um orgasmo malhando? Entenda

A ideia de alcançar um orgasmo em um ambiente tão improvável quanto uma academia pode parecer estranha para muitos. O fenômeno conhecido como “coregasmo” demonstra que isso é mais comum e possível do que se pode imaginar. Essa experiência, que ocorre durante a prática de exercícios físicos, especialmente os que envolvem a região do core, tem gerado curiosidade.

O termo “coregasmo” foi popularizado por um estudo da Universidade de Indiana, que revelou uma realidade surpreendente: uma proporção significativa de mulheres experimenta orgasmos durante seus treinos. Esse tipo de orgasmo, que não decorre de estímulos genitais diretos, é associado à contração e relaxamento intensos dos músculos da região central do corpo, como os abdominais e pélvicos.

Descoberta e popularização do coregasmo

Em 2011, o estudo mencionado acima virou manchete após divulgar que mais de um terço das participantes relataram ter vivenciado um coregasmo. Dessa maneira, a pesquisa abrangeu 370 mulheres de 18 a 63 anos, e além das que tiveram orgasmos, 60% mencionaram sentir prazer sexual durante o exercício.

orgasmo
Imagem: Ivan Babydov/Pexels.com

Apesar do tema ainda ser envolto em certo tabu, esses dados ajudam a normalizar a conversa sobre sexualidade feminina e os variados meios através dos quais o orgasmo pode ser alcançado. Déia Cavalheiro, uma influencer fitness, compartilhou abertamente sua experiência com o coregasmo durante uma sessão de abdominais.

Ela descreveu a sensação como um crescendo de formigamento que culminou em um orgasmo pleno e satisfatório, surpreendendo-a pelo contexto não sexual da experiência.

Perspectivas científicas e explicações

André Almeida, terapeuta sexual, esclarece que o orgasmo feminino pode ser desencadeado por uma complexa interação de fatores fisiológicos ligados à musculatura do assoalho pélvico e ao clitóris. Mesmo na ausência de estímulo sexual direto, o exercício físico intenso pode, portanto, ativar essas áreas indiretamente, levando ao coregasmo.

Veja também:

Revelado os melhores horários para fazer posts no Instagram; veja quais são

A prática de exercícios liberta também endorfinas e outras substâncias no corpo, que podem intensificar a sensação de bem-estar e euforia, contribuindo para o surgimento do coregasmo. Essa descoberta é não apenas uma curiosidade científica, mas também pode servir como um estímulo adicional para a participação em atividades físicas regulares.

  • Endorfina: A hormona da felicidade.
  • Core: Refere-se ao centro de força do corpo, abrangendo músculos da barriga e da região lombar.
  • Orgasmo não-genital: Orgasmo alcançado sem estímulo direto dos genitais.

Imagem: Ivan Babydov/Pexels.com

Relacionadas