Tem como aprender um novo idioma dormindo? Entenda a técnica

Imagine poder aprender um novo idioma enquanto você dorme. Essa ideia, que parece saída de um filme de ficção científica, está começando a tornar-se realidade graças a pesquisas inovadoras no campo da neurociência.

Pesquisadores da Universidade de Liège, na Bélgica, estão desbravando novas fronteiras que sugerem ser possível enriquecer nosso vocabulário durante o sono. Neste novo estudo, metodologias experimentais revelam que, embora a fluência completa não possa ser alcançada exclusivamente durante as horas de sono, há significantes esperanças para a consolidação de novas palavras.

Aprendizagem de idiomas durante o sono

Palavra idiomas escrita em cubos
Imagem: SergioVas/ Shutterstock.com

Matthieu Koroma, um dos pesquisadores da equipe, sugere que o aprendizado durante o sono não substitui as práticas tradicionais de estudo em vigília, mas pode atuar como um importante complemento. A ideia central é que o cérebro, mesmo em repouso noturno, pode ser receptivo a novas informações e, através de técnicas específicas, é possível introduzir novos vocabulários aos aprendizes.

O foco inicial da pesquisa está no japonês, escolhido por suas peculiaridades fonéticas. Um grupo de 22 adultos, sem conhecimentos prévios do idioma ou de qualquer outra língua asiática, participou do estudo. Durante o dia, eles foram expostos a sons associados com imagens correspondentes.

À noite, enquanto dormiam, os mesmos sons eram reproduzidos sem as imagens, mas com a adição da palavra japonesa correspondente ao objeto ou ação. Surpreendentemente, no dia seguinte, mesmo sem recordação consciente, os participantes foram capazes de associar as palavras japonesas corretas às imagens.

Perspectivas futuras do aprendizado

Os resultados da pesquisa sugerem um potencial significativo para o aprendizado de idiomas durante o sono, apesar do processo ser mais lento em comparação ao estudo consciente. Isso abre caminhos para novas técnicas de ensino e aprendizado que podem ser desenvolvidas, aproveitando o estado de sono para reforçar o conhecimento adquirido durante a vigília.

Veja também:

Entenda aqui o que é Deepfake

A descoberta de que o cérebro pode, de fato, processar e memorizar novas informações enquanto dormimos é um avanço intrigante no campo da educação e neurociência. Este campo experimental, embora ainda em seu início, promete revolucionar a maneira como abordamos o aprendizado de idiomas e a educação como um todo.

Imagem: l i g h t p o e t / shutterstock.com

Relacionadas