Sua conta Google pode ser excluída em dezembro; entenda agora

É com grande apreensão que usuários da gigante da tecnologia, Google, receberam a notícia de que a empresa poderá deletar contas que se encontram inativas em seus serviços. Seja Gmail, Google Docs, Drive, Meet, Agenda, YouTube ou Google Fotos, todos os serviços que se constituem como fundamento do ecossistema da companhia para o consumidor final estão passíveis de serem apagados.

Em um contexto de crescentes preocupações com a segurança online, a medida foi adotada com o principal objetivo de aumentar a segurança dos usuários. Contas abandonadas se tornam vulneráveis e são o alvo perfeito para cibercriminosos, que podem se aproveitar destas para obter informações sensíveis.

Google vai excluir contas: O que isso significa?

silhueta de mão segurando um smartphone com o logo do Google. Em segundo plano um telão escrito Google.
Imagem: Meir Chaimowitz / shutterstock.com

No entanto, os usuários podem ficar tranquilos, pois as contas não serão excluídas sem aviso prévio. O Google garantiu que irá notificar os usuários sobre a mudança. Vale ressaltar que essa mudança só se aplica a contas pessoais.

Organizações como escolas ou empresas não precisarão se preocupar, pois suas contas não serão afetadas por essa nova política.

Como evitar a exclusão da conta Google?

A princípio, pode parecer um tanto drástico, mas a resposta é bem simples. Para evitar que sua conta seja excluída, basta realizar alguma atividade logada com o seu perfil em algum desses serviços citados. Ou seja, enviar um e-mail pelo Gmail, assistir um vídeo no Youtube, criar um documento no Google Docs ou qualquer outra atividade significará que sua conta está ativa e não será deletada.

Essa medida reflete a postura proativa e preventiva do Google no que se refere à segurança dos usuários. Assim, é importante permanecer atento às atividades realizadas na sua conta para garantir que não seja considerada inativa e, consequentemente, vulnerável a ataques.

Vale lembrar que, em um mundo cada vez mais digital, a segurança online passa a ser uma responsabilidade conjunta entre provedores de serviço e usuários.

Imagem: Meir Chaimowitz / shutterstock.com

Relacionadas