Sanduíche de problemas: Subway entra com recuperação judicial milionária

A conhecida rede de lanchonetes Subway, pertencente ao Grupo SouthRock, protocolou na última segunda-feira (13) um pedido de recuperação judicial na Justiça paulista. Desse modo, o processo foi motivado pela dívida acumulada de R$ 482,7 milhões.

Sendo assim, o Grupo SouthRock, que também passa por um processo de recuperação e controla outras marcas no país incluindo a Starbucks, viu o pedido de recuperação da Subway sendo questionado por vários de seus credores. Portanto, siga a leitura e confira mais acerca da recuperação judicial da Subway.

Questionamento dos credores da Subway

Fachada do restaurante Subway, com letreiro luminoso
Imagem: monticello / Shutterstock.com

Os credores da Subway apontam para uma aparente “confusão patrimonial” e transferências milionárias que contribuíram para a crise financeira da marca de lanchonetes. Com um laudo pericial solicitado pela Justiça endossando estas preocupações, a Subway teve de se manifestar.

A rede de lanchonetes destacou que as tentativas de reestruturação foram obstruídas por ações de bloqueio de um grupo de credores que antes pareciam dispostos a lidar com as dívidas fora dos tribunais. Essa mudança de postura dos credores dificultou ainda mais a reestruturação das dívidas, culminando na rescisão do acordo de tolerância pela proprietária da marca Subway nos Estados Unidos.

A Subway ressalta que seu pedido de recuperação judicial busca não apenas proteger seus interesses, mas assegurar a continuidade de sua operação, manter os empregos, a produção, a geração de riqueza e o recolhimento de tributos.

Perícia revela “confusão patrimonial” no Grupo SouthRock

A investigação pericial apontou transações financeiras significativas, avaliadas em pelo menos R$ 340 milhões, em operações de “mútuo intercompany”, indicando uma dependência econômica entre as diferentes empresas do Grupo SouthRock.

Diante disso, concluiu-se que existe uma “confusão patrimonial” entre as empresas do conglomerado, incluindo a Subway e a Eataly, que tentou, inicialmente, se excluir dessa disputa judicial.

O Grupo SouthRock foi fundado em 2015 e atua principalmente no setor de alimentos e bebidas, com foco na operação de redes de restaurantes em aeroportos. Recentemente, ele encontrou dificuldades, perdendo inclusive o direito de operar a marca Starbucks no Brasil. No pedido de recuperação, a empresa atribuiu parte de seus problemas à pandemia de Covid-19.

Imagem: monticello / shutterstock.com

Relacionadas