Está acontecendo neste momento um protesto a favor da Exposição do Santander na Praça da Alfândega, bem em frente ao prédio do Santander Cultural em Porto Alegre.

O ato público pela liberdade de expressão artística e contra a LGBTTFobia, motivo que, segundo os organizadores do protesto, levou ao encerramento antecipado da mostra Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira.

O Ato público que está ocorrendo foi organizado por 17 associações defensoras dos direitos LGBT, Segundo os organizadores, “A ameaça de grupos conservadores foi mais importante do que se preocupar com direitos humanos”, diz Gabriel Galli, coordenador do grupo Somos.

Leia mais:

Homem nu tocado por criança em exposição no MAM vira polêmica na web

Veja as Imagens Santander Exposição censuradas pelo MBL.

Curador afirma que é contra o fechamento da exposição Queermuseu Santander.

Outra entidade que repudiou o cancelamento da mostra de arte do Santander foi o Conselho Estadual de Cultura, e chamou os protestos do MBL de “reação de intolerância”

Também há uma petição na internet solicitando a reabertura da exposição do Santander Cultural.

exposição do Santander

Exposição do Santander Cultural

No total estavam expostas 270 obras de arte, e eram assinadas por diversos artistas, incluindo alguns consagrados como Adriana Varejão, Ana Norogrando, Antonio Caringi, Cândido Portinari, Fernando Baril, Hudinilson Jr., Lygia Clark e Leonilson.

A ideia da exposição do Santander Cultural era exatamente debater a expressão e identidade de gênero.

O curador da amostra, Gaudêncio Fidelis, diz que o encerramento da exposição do Santander representa um momento dramático para a história da arte brasileira:

“Infelizmente, não recordo de um precedente na trajetória da produção artística brasileira nas artes visuais que seja igual a esse”.

Santander cultural está aberto e funciona normalmente nesta terça-feira, das 10h às 19h, com exceção da exposição principal.

Segundo a administração do Santander Cultural, o motivo para ter encerrado a mostra Queermuseu é a segurança das obras e das pessoas.

Em nota a seus clientes, o Santander Cultural reconhece que a mostra pode ter sido ofensiva a alguns grupos e que a sua missão é incentivar as artes e dar luz ao trabalho de artistas brasileiros, para gerar reflexão positiva.

“Se esse objetivo não foi atingido, temos o dever de procurar novas e diferentes abordagens”.

O curador Gaudêncio Fidelis está presente no protesto, e disse a obra da artista de Brasília Bia Leite fala sobre preconceito:

“É uma obra sobre bullying, sobre preconceito, sobre a agressão que os adolescentes e as crianças sofrem em todo o período inicial da sua vida. São duas pinturas. O fato de tomarem essas imagens de crianças e transformar isso em outra coisa, chamar de pedofilia, é uma distorção tão absurda, que só pode funcionar quando fora de contexto.”

O que a Justiça diz sobre a Exposição do Santander?

Na última segunda-feira (11), promotores do Ministério Público do Rio Grande do Sul foram até o Santander Cultural para avaliar o conteúdo da exposição do Santander Cultural, pois houve denúncias de apologia à pedofilia, sexualização infantil e zoofilia.

Segundo o promotor Julio Almeida em entrevista ao G1, não existe pedofilia.

“Verificamos as obras e não há pedofilia. O que existe são algumas imagens que podem caracterizar cenas de sexo explícito, mas do ponto de vista criminal, não vi nada”.

Repercussão internacional

O caso do cancelamento da Exposição do Santander está tendo repercussão internacional. Segundo o site The Guardian, “Uma tempestade de censura entra em erupção no Brasil e atinge a liberdade artística, depois que uma exposição de arte no centro cultural de um banco multinacional foi cancelada, após uma campanha de manifestantes de direita.”

O protesto de hoje no Santander Cultural é assinado pelos seguintes grupos LGBT:

Confira a convocação do protesto a favor da exposição do Santander Cultural

exposição do Santander

“Diante dos ataques sofridos pela Exposição #QueerMuseu sediada no Museu Santater Cultural, em pleno Centro Histórico de Porto Alegre, convocamos um ATO PÚBLICO em defesa da liberdade de expressão artística, das liberdades democráticas e contra os retrocessos políticos que limitam o exercício de cidadania da população LGBTT.

Repudiamos os ataques conservadores e fundamentalistas e suas acusações falsas e infundadas. Repudiamos também a decisão do Santander Cultural de encerrar prematuramente a exposição, recuando diante das manifestações fascistas de ódio e preconceito.
Tod@s lá! Nenhum direito a menos!”

Imagens: Jonas Campos/RBS TV

Via G1

E você, o que achou da Exposição do Santander? É apologia ao crime ou é arte? Queremos saber sua opinião!

Que tal você seguir as nossas redes sociais como o Twitter e Facebook para você continuar acompanhando as melhores matérias sobre tecnologia, entretenimento e redes sociais, diariamente, em suas redes sociais.


Graduanda em ciência e tecnologia. Apaixonada por ciências e tecnologia e entusiasta das infinitas possibilidades do Universo!