IA do Google manda usuários beberem urina; entenda a situação

Recentemente, um incidente peculiar chamou a atenção dos usuários das redes sociais envolvendo a nova ferramenta de busca do Google, Experiência de Pesquisa Generativa (SGE). A ferramenta, que está em fase de testes, acabou por sugerir a um usuário que bebesse urina como tratamento para pedras nos rins – uma recomendação médica incorreta e potencialmente perigosa.

A ideia por trás do recurso SGE do Google é proporcionar aos usuários respostas rápidas e precisas às suas consultas de busca. Embora a inclusão de ferramentas de IA generativa em motores de busca prometa revolucionar nosso acesso à informação, o episódio recente destaca a necessidade de aperfeiçoamento contínuo para evitar falhas que possam comprometer a segurança dos usuários.

Qual foi a orientação exata da IA do Google?

google
Imagem: Chonlachai / shutterstock.com

Na resposta gerada, a IA inicialmente aconselhava a ingestão de uma quantidade suficiente de líquidos, o que é um conselho padrão para quem sofre de pedras nos rins. Contudo, a parte controversa veio logo em seguida, onde sugeria que o usuário deveria “beber pelo menos 2 litros de urina a cada 24 horas”.

Essa afirmação gerou uma série de críticas e piadas nas redes sociais, evidenciando uma falha grave do sistema. Para tratamento e prevenção de pedras nos rins, a recomendação médica é aumentar a ingestão de água para manter a urina clara, indicativo de que o corpo está bem hidratado.

Além disso, dependendo do caso, podem ser necessários medicamentos analgésicos ou procedimentos mais específicos, como a litotripsia ou cirurgia endoscópica, para remover pedras maiores que não podem ser expelidas naturalmente.

Confiabilidade das informações de IA em saúde

É essencial tratar qualquer informação de saúde proveniente de IAs com cautela. O Google indica claramente que o SGE ainda está em fase de teste e, como tal, seus resultados podem conter erros. Sempre é recomendável consultar um profissional de saúde qualificado para diagnósticos e tratamentos.

Veja também:

Streaming com filmes e séries nacionais deve ser lançado pelo governo ainda este ano; saiba mais

Apesar de promissora, a tecnologia de IA ainda está evoluindo e aprendendo com seus erros. Casos como o relatado acima reforçam a importância de testes rigorosos e supervisão humana, especialmente quando se trata de conselhos de saúde. A esperança é que, no futuro, as ferramentas de IA possam fornecer informações que sejam não só rápidas, mas também seguras e confiáveis.

Imagem: Firmbee / Pixabay

Relacionadas