Estes vícios de linguagem são muito comuns entre os brasileiros; veja quais são

A comunicação eficaz é uma ferramenta essencial em todas as esferas da vida. No entanto, muitas vezes, ela é comprometida por pequenos deslizes conhecidos como vícios de linguagem. Estes são erros comuns na fala ou na escrita que desviam as normas gramaticais e podem levar a mal-entendidos ou diminuir a credibilidade do comunicador.

Os vícios de linguagem, ao serem repetidos continuamente, podem atrapalhar a clareza e a precisão da comunicação, levando a interpretações errôneas ou até mesmo ao descrédito por parte do receptor. Entender e evitar esses vícios permite que nos expressemos de maneira mais eficientes, garantindo que nossas mensagens sejam compreendidas exatamente como pretendemos.

Quais são os vícios de linguagem mais comuns?

Os vícios de linguagem se manifestam de várias formas, podendo afetar negativamente a comunicação. Conhecer esses erros é o primeiro passo para evitá-los e, assim, melhorar sua eficácia ao se expressar. Vamos explorar alguns dos mais recorrentes e como evitá-los.

WhatsApp mensagens de texto
Imagem: Dontree_M/ shutterstock.com

Redundância e Pleonasmo

Redundância ocorre quando usamos palavras ou expressões que não adicionam nada novo à mensagem, tornando-a repetitiva e tediosa. Já o pleonasmo, que pode ser considerado uma forma de redundância, envolve a repetição desnecessária de uma ideia já implícita, como em “entrar para dentro”. A chave para evitar esses erros é a prática da síntese, buscando transmitir a mensagem de forma concisa.

Barbarismo e Estrangeirismo

O barbarismo acontece quando há erro na forma de escrever, pronunciar ou empregar uma palavra. A solução está na constante atualização e consulta a dicionários. Por outro lado, o estrangeirismo se dá pelo uso excessivo de palavras estrangeiras quando há equivalentes em português, podendo ser amenizado pelo equilíbrio e adequação linguística.

Veja também:

Quais países permitem a compra da cidadania?

Ambiguidade e Cacofonia

  • Ambiguidade: Frases que permitem múltiplas interpretações podem confundir o interlocutor. A clareza deve ser priorizada, estruturando as sentenças de forma que transmitam uma única mensagem.
  • Cacofonia: A combinação infeliz de palavras que gera sons desagradáveis ao ouvido pode ser evitada com a reorganização das palavras na frase.

Anacronismo, Neologismo e Arcaísmo

  1. Anacronismo: Introduzir elementos de uma era em outra por erro, afeta a credibilidade do texto. O remédio é a pesquisa detalhada.
  2. Neologismo: A criação de palavras novas deve ser moderada, mantendo o texto acessível a todos.
  3. Arcaísmo: O uso de palavras obsoletas pode ser charmoso, mas deve ser feito com a consciência de sua compreensão pelo público atual.

Dicas rápidas para evitar os vícios de linguagem

  • Revise seu texto ou pratique sua fala para identificar possíveis vícios.
  • Enriqueça seu vocabulário para ter sempre à mão sinônimos que ajudem a evitar repetições desnecessárias.
  • Faça uso de ferramentas como dicionários e gramáticas para esclarecer dúvidas e corrigir possíveis erros.
  • Peça feedback de outras pessoas sobre sua comunicação, abrindo espaço para melhorias contínuas.

Adotando essas práticas, você estará no caminho certo para uma comunicação mais clara, eficaz e livre de vícios de linguagem.

Imagem: Dontree_M/ shutterstock.com

Relacionadas