Entenda o que é o dermaplaning e saiba os riscos do procedimento de pele

O dermaplaning, uma técnica estética em ascensão, atraiu considerável atenção nas redes sociais. Este procedimento, envolvendo a utilização de uma lâmina de bisturi para remover células mortas e pelos faciais, promete uma pele mais suave e radiante. Segundo o dermatologista Dr. Danilo Talarico, seu propósito fundamental reside na melhoria da textura da pele.

Contudo, diante das incertezas quanto à sua segurança e eficácia, surgiram diversas dúvidas entre os usuários. Dessa maneira, aprofundar-se em conversas com especialistas revelou um panorama mais completo sobre este procedimento, permitindo uma análise informada sobre seus benefícios e possíveis riscos.

Como é realizado o procedimento de dermaplaning?

O procedimento requer um profissional capacitado e equipamento cirúrgico esterilizado. A lâmina é aplicada na pele seca, com um ângulo de 45 graus, permitindo a remoção das células mortas e pelos finos. Segundo a especialista em procedimentos estéticos faciais e corporais Daniele Melo, é importante frisar que a técnica deve ser efetuada por um profissional, pois a realização caseira pode acarretar riscos.

dermaplaning
Imagem: Jay York /Pexels

O Dermaplaning pode facilitar a penetração de produtos de skincare na pele, porém, também apresenta riscos como sensibilidade, ardência, vermelhidão e até mesmo infecção. É contraindicado para pessoas com pele sensível ou condições dermatológicas específicas, como acne. Por isso, é indicada a avaliação de um médico especialista antes de realizar o procedimento.

O dermaplaning engrossa os pelos?

Contrariando a crença comum, o Dermaplaning não leva ao engrossamento dos pelos, conforme explicado pelo Dr. Danilo Talarico. Não há evidências científicas que sustentem que qualquer método de corte dos pelos resulte em seu aumento de espessura, pois o crescimento dos pelos é principalmente influenciado por fatores genéticos e hormonais.

Veja também:

Sabia o que é overdose de cafeína e como você pode evitar o problema

Após o procedimento, é essencial aplicar protetor solar, evitar a exposição excessiva ao sol e realizar a higienização da área com cuidado, seguindo todas as recomendações do profissional responsável. Embora o Dermaplaning tenha se popularizado, especialistas destacam a existência de alternativas mais seguras e eficazes, como peelings químicos suaves, microagulhamentos e tratamentos com laser ablativo.

Imagem: Jay York/Pexels

Relacionadas