São diversos os motivos que estão fazendo o motorista se desestimular de prestar o serviço no Uber.

Antes de mais nada, estou recebendo algumas críticas por alguns que dizem que eu não converso com o motorista do Uber. Queria deixar claro que a minha proposta é, além de ouvir os motoristas, também fazer profissionalmente o Uber e outras plataformas para realmente formar uma ideia de como elas funcionam e trazer conteúdo de qualidade e relevante sobre o tema. Eu acredito que não basta apenas ler, mas também a experiência é extremamente importante para que o leitor se identifique com o texto.

Leia mais:

Os 5 carros mais baratos e com menor consumo para fazer Uber em 2017.

Portanto, além de experimentar a plataforma, eu consigo também conversar com outros motoristas que passam pela dificuldade em que elenquei logo abaixo. No entanto, também há pessoas que estão satisfeitas com a plataforma, vai do gosto, disponibilidade e desejo de cada um. Neste artigo reuni os aspectos ruins da plataforma e que deveriam ser melhorados ou estudados pelo Uber.

1) Política de não-reajuste da tarifa

O Uber não aumenta a tarifa mesmo com a inflação em que estamos passando. O que é extremamente ruim para o motorista que precisa sustentar a sua família ou até mesmo o que quer fazer um extra com o aplicativo.

Simplesmente o que está ocorrendo é que a gasolina aumenta e o Uber repassa o custo disso para o motorista, o que é errado. Isso desestimula por completo o profissional que já trabalha sem o incentivo necessário devido a estar sem o respaldo do reajuste da tarifa.

2) Aumento da gasolina

Os grandes aumentos da gasolina, por parte do Governo Federal, estão afetando obviamente o lucro do motorista. Esse tópico causa uma pressão no aumento da tarifa, mas, infelizmente, o Uber não faz nada quanto a isso.

Ou seja, cada vez que há o aumento da gasolina, automaticamente o motorista já sabe que não terá o incentivo do Uber, o que desmotiva ainda mais.

3) Conceito deturpado

O Uber inicialmente se destacou pela qualidade do serviço que realmente era diferenciada. No entanto, o que estamos constatando é que ela só quer colocar mais motoristas e mais passageiros, sem se importar com o conceito inicial que era preço justo, qualidade e bom atendimento. Isso resulta infelizmente que eles estão inevitavelmente se aproximando do serviço que ela sempre foi contrária, o dos taxistas tão criticados.

4) Pouca lucratividade

O lucro é baixo, o profissional precisa, segundo relatos de motoristas e, até mesmo experiência própria, trabalhar 12 horas para compensar tudo isso.

5) Taxa de 25%

A taxa altíssima de 1/4 da já baixa tarifa é extremamente desestimulante para o motorista. Além dos custos da gasolina, manutenção do veículo e eventuais problemas que ocorrem no carro. A Uber se não quer aumentar a tarifa do passageiro deveria diminuir essa taxa que ela cobra. Porque o que passa de impressão é que ela não está preocupada se o motorista irá lucrar menos.

6) Falta de segurança

Diferentemente do 99POP, por exemplo, em que é possível ver o destino antes de aceitar a corrida, e, até mesmo, o aplicativo avisa se o local é perigoso. A Uber não está muito preocupada com isso, o que acaba gerando uma falta de segurança enorme. Além disso, a possibilidade de não poder escolher a forma de pagamento é extremamente ruim para o motorista, que não gosta de andar com dinheiro na carteira. A proposta, no entanto, do Cabify, é diferenciada também devido a só aceitar cartão de crédito

Por enquanto, são esses os motivos principais, mas se, por acaso, você tiver algum outro para citar, fique à vontade e comente logo abaixo. 😉

Gostou do artigo? Então siga as nossas redes sociais como o Twitter e Facebook para você continuar acompanhando as melhores matérias sobre tecnologia e entretenimento, diariamente, em suas redes sociais.


CEO

Aprecio empreendedorismo, tecnologia, administração e gestão de pessoas. Um dos fundadores do site e CEO da Optclean Tecnologia.