10 mitos dos filmes pornôs nos quais você não deveria acreditar

Seja na esfera das ficções eróticas de Hollywood ou dos filmes pornôs, uma série de mitos e equívocos cercam o universo da intimidade sexual. Apesar de muitas vezes estimular o apetite dos espectadores, os filmes eróticos geralmente apresentam uma narrativa que distorce a autêntica sexualidade humana.

Em uma tentativa de trazer luz à realidade do sexo, especialistas da área derrubaram alguns dos maiores mitos forjados nas telas. Confira a seguir.

Mitos dos filmes pornôs

filme pornô
Imagem: Kaspars Grinvalds / shutterstock.com

1. Prontidão inabalável

Contra a ideia geral de que os homens estão sempre prontos e ansiosos para o sexo, a verdade é que, assim como as mulheres, homens também podem experimentar ansiedade e necessitam de estímulo sexual antes da relação.

2. Preliminares ignoradas

Os filmes eróticos, majoritariamente voltados para o público masculino, tendem a descartar ou diminuir a importância das preliminares. No entanto, a excitação e a lubrificação feminina, equivalentes à ereção masculina, precisam de estímulo sensorial prévio.

3. Sinfonia do orgasmo

Contrariamente ao que é mostrado nos filmes eróticos, onde as mulheres costumam vocalizar os orgasmos de maneira escandalosa, na vida real a reação feminina a este pico de prazer é geralmente mais contida.

4. Clímax sincronizado

Enquanto nos filmes eróticos tanto o homem quanto a mulher tendem a alcançar o clímax sexual simultaneamente, na realidade, a intensidade e a velocidade com que os parceiros experimentam o orgasmo podem variar.

5. A ilusão do sexo ininterrupto

Nos filmes eróticos, as cenas de sexo frequentemente não têm intervalos para descanso ou recobro. No entanto, na vida real, períodos de descanso durante o ato sexual são comuns e benéficos.

6. Posições irreais

Cenas de sexo em filmes geralmente incluem posições sexuais excessivamente acrobáticas ou desconfortáveis que, na vida real, poderiam ser dolorosas ou difíceis de executar.

7. Locais inatingíveis

Os filmes pornôs geralmente retratam o sexo ocorrendo em locais exóticos ou impróprios, como elevadores, escadas, ou escritórios. Apesar de estas situações poderem agregar emoção à trama do filme, na vida real podem se provar incômodas ou mesmo ilegais.

Veja também:

Descubra para que serve o aplicativo Inteligência do Sistema Android

8. O dom da garganta profunda

Contrariando a ideia disseminada de que todas as mulheres devem dominar a técnica da garganta profunda, é fundamental compreender que as preferências e limitações variam. Nem todas as mulheres se sentem confortáveis ou desejam realizar essa prática, e a pressão para isso pode resultar em experiências desconfortáveis.

9. Simplificação do sexo anal

Ao contrário da representação simplificada em alguns contextos, o sexo anal requer comunicação, preparação e consentimento mútuo. A ideia de que essa prática é naturalmente fácil para todos é um mito, pois a experiência pode variar significativamente de pessoa para pessoa, envolvendo considerações físicas e emocionais.

10. Sem nojinho

Ao contrário da representação estereotipada, nem todas as mulheres estão confortáveis com o esperma de seus parceiros, e isso é perfeitamente normal. A ideia de que todas as mulheres deveriam aceitar essa parte da intimidade sem questionamento é falsa.

Imagem: Kaspars Grinvalds / shutterstock.com

Relacionadas